Pergunta

Depois de adotar uma ou duas crianças, a adoção pode ser anulada ou desfeita?

Uma senhora sozinha, doente e com quase 60 anos que não tem condições emocionais para conviver com crianças, poderia ter adotado as mesmas?

A adoção pode ser anulada ou desfeita?

há há um ano

1 Resposta

Um adoção pode ser anulada, se o processo de adoção não respeitou a legislação pertinente ao assunto, ou formalidade que a lei exige.

A anulação da adoção deve ser através de Ação de Anulação de Adoção, que deverá descrever a motivação da mencionada ação.

Na adoção não há grande rigor no exame das formalidades, já que é um ato de mera liberalidade, contudo, o processo deve necessariamente ser acompanhado pelo Ministério Público.

Um dos motivos para anulação da adoção é a ausência de consentimento do adotante e do adotado, no caso de maior de doze anos.

Pode também ser anulada a adoção que o adotante não tenha mais de dezoito anos ou não exista a diferença de idade entre adotante e adotado de dezesseis anos.

Outra ilegalidade na adoção quando se identificam duas pessoas que não sejam cônjuges ou conviventes que adotaram a mesma pessoa, mesmo que sejam divorciados ou separados.

Verifica-se de igual forma a anulabilidade da adoção na qual faltou assistência do representante legal do adotando, caso seja relativamente incapaz, quando não houve anuência daquele que detém a guarda do adotado; se houve vício de consentimento, seja por erro, dolo, coação, lesão, estado de perigo ou fraude contra credores e, finalmente, na falta de consentimento do cônjuge ou convivente do adotante.

É importante lembrar que a prescrição para ajuizamento da ação é de dez anos.

Com relação à idade da adotante não há restrição, entretanto, a assistente social deverá dar preferência a pessoa mais jovem, mas, no caso se já as duas crianças foram adotadas pela pessoa com quase sessenta anos é preciso verificar o processo de adoção para saber se houve alguma irregularidade.

Espero ter respondido de forma satisfatória.

há um ano
Confira as vantagens

Cadastrados no Portal Justiça podem ter seu perfil profissional. Com um endereço exclusivo jurista.me/seunome. Seu perfil servirá para você ser encontrado por possíveis clientes através do Portal Justiça. Nele é possível informar suas áreas de atuação, mostrar sua trajetória, adicionar informações de contato e muita coisa ainda está por vir!

Para quem não é jurista, pode retirar suas dúvidas com os juristas do Portal Justiça na seção de perguntas.

Além disso, juristas terão acesso a notificações em Diários da Justiça sem nenhum custo. Para mais informações clique aqui

Temos muitas novidades ainda por vir, cadastre-se para receber notificações dos nossos lançamentos.

Abaixo um exemplo de como pode ficar seu perfil profissional no portal justiça:

Clique aqui para fazer o seu cadastro