Paim entrega carta original de Ruy Barbosa em sessão de homenagem ao patrono do Senado

A sessão especial no Plenário homenageou os 170 anos de nascimento de Ruy Barbosa.

Em sessão especial no Plenário para homenagear os 170 anos de nascimento de Ruy Barbosa, nesta sexta-feira (22), o Conselho Editorial do Senado lançou duas obras do intelectual: Oração aos Moços e A Imprensa e o Dever da Verdade. A sessão também foi marcada pela entrega por parte do senador Paulo Paim (PT-RS) de uma carta original de Ruy Barbosa (1849-1923) em resposta a um cidadão. A carta, guardada pela família do destinatário, havia sido entregue a Paim há dez anos e Paim resolveu entregá-la nesta oportunidade ao Museu do Senado.

Paim contou que um dia, encontrou nos corredores do Senado, um senhor que o estava procurando para entregar a ele a carta de Ruy Barbosa. Conforme disse o senador, a carta foi a resposta de Ruy a um cidadão que lhe escrevera, dizendo que ele precisava ganhar as eleições presidenciais.

— Sabe o que ele (o familiar) me disse ali? 'Senador Paim, um dia o senhor vai precisar desta carta'. Sabe o que eu pensei ontem à noite, olhando lá nos meus alfarrábios? Esse dia é amanhã! E o dia é hoje! Esta carta eu entrego a você a ao Senado, homenageando a Ruy, e estou homenageando a democracia, a Constituição, a liberdade e o combate a todos os preconceitos — disse Paim ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que presidiu a sessão.

O senador Randolfe Rodrigues, que preside o Conselho Editorial do Senado, disse que pretende publicar toda a obra de Ruy Barbosa durante seu mandato. Ele afirmou que as obras de Ruy não podem ficar apenas no Arquivo do Senado. Randolfe também lembrou o fato de que o homenageado era um abolicionista e que, no último dia 20, foi o Dia da Consciência Negra.

— Alguns podem qualificar Ruy como um liberal-democrata. Ruy era mais que isso. Alguém que teve a genialidade, aliás, alguém que teve a vanguarda no século XIX em uma sociedade escravocrata. E é importante, meu caríssimo Paim, senador negro deste Senado da República, na semana da Consciência Negra, lembrar o que representou a escravidão como chaga indelével na nossa história — afirmou.

A vice-presidente do Conselho Editorial, Esther Bermeguy de Albuquerque, falou sobre as obras de Ruy Barbosa lançadas nesta sexta-feira. Segundo ela, a Oração aos Moços traz uma mensagem importante para a juventude atual e A Imprensa e o Dever da Verdade contribui para o momento que a imprensa de hoje vive, com as fake news e a internet.

— Nós temos também um compromisso, que o Senador já assumiu, de publicar todos os discursos que ainda são inéditos do Ruy Barbosa no Senado, também será uma obra muito importante. E nós pretendemos também, ao longo deste mandato, publicar todas as obras do Ruy Barbosa. Há muitas obras importantes que estão esgotadas e há muitas obras inéditas ainda — informou Esther.

A encarregada de negócios da embaixada da Polônia, Marta Olkowska, afirmou que Ruy Barbosa é importante para os poloneses, porque, em sua época, defendeu que a Polônia, à época toda desmembrada, voltasse ao mapa do mundo.

— O nosso território foi dividido entre os nossos poderosos vizinhos – amigos agora, mas, na altura, nem tanto. E Ruy Barbosa, sendo quem ele foi, nunca esqueceu a nossa causa, sempre levantava essa causa. Para vocês, ele é conhecido como Águia de Haia, mas, na nossa memória, o discurso dele em Haia nunca vai desaparecer, porque, naquela altura, ele falou que a Polônia tinha todo o direito de voltar ao mapa do mundo — afirmou.

O consultor legislativo do Senado, Dario Alberto de Andrade Filho, lembrou como Ruy Barbosa era querido, com as imagens que mostravam a multidão de pessoas que presenciaram seu velório.

— Eu acho que o mais impressionante é que a gente vê todo tipo de pessoa: a gente vê homem, a gente vê mulher, a gente vê jovem, a gente vê velho, a gente vê brancos, a gente vê negros, quer dizer, a morte dele comoveu o país. Eu acho que ele comoveu o país porque, apesar de nunca ter conseguido chegar à Presidência da República, que era a missão legítima dele, ele deixou não uma marca na história do Brasil, ele deixou diversas marcas na história do Brasil — disse.

Ruy Barbosa

Considerado o Patrono do Senado, Ruy Barbosa de Oliveira foi senador entre 1890 e 1923 e tem um busto no Plenário, acima da Mesa. Ele foi jurista, advogado, diplomata, jornalista, escritor e teve grande atuação na política brasileira. Concorreu à presidência da República nas eleições de 1910 e 1919, perdendo a disputa para Hermes da Fonseca e depois para Epitácio Pessoa.

O patrono foi o primeiro ministro da Fazenda e da Justiça do período republicano, e representou o Brasil na Conferência de Haia, de 1907, que estabeleceu importantes normas de direito internacional. Além de membro fundador da Academia Brasileira de Letras, que presidiu entre 1908 e 1919. Barbosa nasceu na Bahia em 5 de novembro de 1849. A data do seu nascimento marca também o Dia da Cultura e da Ciência.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Publicado em 25 de novembro de 2019

Perguntas Relacionadas

Confira as vantagens

Cadastrados no Portal Justiça podem ter seu perfil profissional. Com um endereço exclusivo jurista.me/seunome. Seu perfil servirá para você ser encontrado por possíveis clientes através do Portal Justiça. Nele é possível informar suas áreas de atuação, mostrar sua trajetória, adicionar informações de contato e muita coisa ainda está por vir!

Para quem não é jurista, pode retirar suas dúvidas com os juristas do Portal Justiça na seção de perguntas.

Além disso, juristas terão acesso a notificações em Diários da Justiça sem nenhum custo. Para mais informações clique aqui

Temos muitas novidades ainda por vir, cadastre-se para receber notificações dos nossos lançamentos.

Abaixo um exemplo de como pode ficar seu perfil profissional no portal justiça:

Clique aqui para fazer o seu cadastro